Início » Diamante: conheça a sua origem e características

Diamante: conheça a sua origem e características

Se você é fã de joias ou simplesmente tem vontade ter de alguma, com toda a certeza você já ouviu sobre e desejou ter uma joia feita com diamantes, não é? Os diamantes são pedras preciosas e muito desejadas.

Por conta disso, sem dúvida alguma você já deve ter ouvido falar ou ter visto fotos de colares, pulseiras e anéis feitos com o diamante.

Se você tem interesse nessa pedra preciosa, seja em adquirir uma ou apenas estudar sobre o assunto, esse artigo foi feito para você! Acompanhe!

Como e onde os diamantes são formados

Ao ver um diamante, as pessoas, considerando sua raridade e também o seu valor, costumam imaginar que ele é feito a partir de uma substância ou elemento que é raro e difícil de ser encontrado.

Você também pensa que, por conta da sua raridade e do seu preço, o diamante é feito a partir de elementos complexos? Se sim, você está enganado!

Os diamantes são feitos de nada mais nada menos que carbono, o mesmo carbono que é uma das substâncias mais presentes no planeta, já que é, por conta dos processos em que participa, essencial para a vida dos seres do reino animal e vegetal.

Tendo em vista esse fato chocante, vamos partir para forma como esse mineral é moldado para virar um diamante.

O cristal que recebe o nome dessa pedra preciosa passa por um processo no qual o carbono passa por grande quantidade de calor e pressão, o que, depois de um tempo, resulta do cristal tão valorizado hoje em dia.

Não se sabe ao certo como os diamantes vieram parar na superfície terrestre, mas a comunidade científica crê que isso ocorreu há milhões de anos, e que ele veio para a superfície juntamente com o magma que fica no centro da Terra.

É sobre esse tipo de calor que estamos falando. Ao longo do tempo, esse magma endureceu e deu origem a vários tipos de pedras, onde pode ser incluído o precioso diamante.

Veja também:

Pedras e cristais que curam: quais os mais procurados?

O kimberlito, também chamado de chaminé, é a pedra na qual mais são encontrados os diamantes. Essas pedras, kimberlitos, geralmente têm um formato de cone, e algumas delas ficam bastante desgastadas com o tempo.

Em outros casos, às vezes, os diamantes também podem ser encontrados em cascalhos nos leitos de praias e rios ou em depósitos de areia — nesse caso, é quando eles são levados por alguma correnteza.

Com exceção de grande parte dos países europeus e a Antártica, os diamantes podem ser encontrados em praticamente todos os lugares do planeta, e alguns dos países que mais produz o diamante em todo o mundo são a Botsuana, a Rússia, a África do Sul e a Austrália.

No século XX, foi descoberta pela ciência uma maneira de criar diamantes artificiais, que passaram a ser feitos em laboratório. As zircônias, como são chamadas, têm a mesma estrutura química dos diamantes que são encontrados e extraídos na terra.

É exatamente por esse motivo que é extremamente difícil distingui-las de diamantes que foram extraídos, sendo que até mesmo especialistas no assunto costumam ter dificuldades para diferenciá-los quando não fazem uso de equipamentos especiais para isso.

As características dos diamantes

Os diamantes possuem diversas colorações, sendo que sua cor mais comum são um amarelo pálido e incolor. Todavia, eles podem ser também azuis, marrons, vermelhos, verdes, rosa, laranja e pretos.

Os diamantes transparentes possuem somente carbono puro, enquanto os que possuem coloração tem outros elementos além do carbono.

A maioria dos diamantes usados como pedras preciosas são transparentes e praticamente incolores. São usados, por exemplo, para anéis de casamento e para outras joias.

Os diamantes são tão duros que não podem ser arranhados nem quebrados por qualquer substância que seja.

O significado da palavra diamante

Derivada do grego “adamas”, a palavra diamante possui como significado: indestrutível e invencível. Isso porque essa pedra é praticamente impossível de se quebrar.

Justamente pelo seu significado, as pessoas costumam usar anéis de namoro e noivado feitos com o diamante, a fim de representar a “eternidade” da relação.

O diamante é indestrutível?

Apesar de ser uma pedra muito rígida, e uma das coisas mais duras criada pela natureza, o diamante não é indestrutível. Por falar nisso, ele muitas vezes é lapidado.

Justamente pela dificuldade de modificar o seu formato, as pessoas costumam o arranhar ou quebrá-lo com outros diamantes.

Além disso, o diamante também já foi considerado a coisa mais rígida da Terra, mas, atualmente, o grafeno é o que ocupa essa posição. Para quem não sabe, o grafeno é também uma forma cristalina do carbono.

Veja também:

Você sabe o que é Cristaloterapia? Explicamos tudo aqui!

Para que o diamante é utilizado?

Costumamos ver conhecer o diamante sendo usado em joias, como colares, brincos e anéis, porém, a maior utilização para os diamantes é na indústria.

Pela sua rigidez e dureza, ele é bastante utilizado em materiais e ferramentas feitas para corte e perfuração de coisas resistentes e sólidas, como por exemplo a furadeira.

Além disso, ele é utilizado para polir superfícies. Para essa função, ele é transformado em pó. Há cerca de 4.500 anos, ele era utilizado na China para polir eixos.

Nos dias de hoje, cerca de 80% dos diamantes são usados na indústria, tendo seu uso direcionado para polimento, moagem, corte e perfuração.

Alguns diamantes também são fluorescentes e conseguem emitir luz visível ao ser expostos à luz ultravioleta. Estes, por sua vez, em sua maioria refletem a tons da cor azul.

Cullinan, o maior diamante já encontrado

 

O maior diamante encontrado até hoje, chamado de Cullinan, foi encontrado na África do Sul, no ano de 1905. Ele pesava 3.106 quilates e foi dado de presente para o rei Eduardo VII, do Reino Unido.

O diamante foi dividido em três pedras menores, que mais tarde foram transformadas em nove gemas e cerca de mais de cem pedrinhas.

E hoje as maiores pedras de diamante feitas do Cullinan fazem parte das joias da Coroa Real Britânica. O Cullinan I, por exemplo, está no cetro The Sorvereing’s Sceptre. E o Cullinan II está na coroa Imperial State Crown.

Gostou das curiosidades sobre o diamante que foram apresentadas no artigo? Deixe um comentário abaixo!

Deixe seu comentário